Meu desejo com esse texto é partilhar experiências que eu já vivi e vivo com a nossa Mãe Maria!

Quero falar, com toda honestidade, sobre como eu aprendo a ser mulher tendo como referência a Virgem Maria.

Deus, em Sua infinita sabedoria, nos deu Maria como mãe e modelo de mulher (em todos os seus aspectos). Se nós que somos católicos não temos Maria como nosso maior exemplo (depois de Jesus), algo está muito equivocado. Precisamos rever e refletir sobre em quais pilares temos fundamentado nossa vida. Maria revela o melhor e mais belo pensamento de Deus a respeito do ser mulher.

A frustração veio…

O dia do casamento

Eu me casei no ano de 2016 e desde então minha intimidade com Nossa Senhora tem aumentado muito. No início do meu matrimônio, eu e meu marido passamos por muitas dificuldades e lutas. Eu tinha uma proposta de fazer uma pós graduação em outro estado, com bolsa de estudo, com emprego garantido para meu marido, um local mobiliado para morarmos. Estava tudo perfeito!

Menos de dois meses antes do dia do nosso matrimônio, ficamos sabendo que não daria mais certo. Ficamos extremamente preocupados e receosos quanto ao nosso futuro. Não tínhamos casa, somente meu marido estava trabalhando, eu fiquei muito frustrada com a situação. Tudo isso nos entristeceu muito.

Deus deu, Deus tirou

Nosso sentimento era o mesmo de Jó: “Deus o deu, Deus o tirou” (Jó 1,21). Aquilo era, naquele momento, incompreensível para nós e principalmente para mim. Eu perdi a conta de quantas vezes chorei e questionei o porquê daquela situação. Esse primeiro ano de casados foi o ano mais difícil da minha vida e o ano no qual eu mais me aproximei de Maria. Quando meu coração apertava e eu sentia que não ia aguentar mais, Deus me fazia recordar do período da santa gravidez de Maria.

Maria estava grávida do Filho de Deus e quando entrou em trabalho de parto, estava longe de casa, não tinha sequer o mínimo de conforto para oferecer para Seu Filho amado. E diante desse mistério, algo fortalecia meu coração: Maria não tinha nada para oferecer para o seu Filho, mas ela tinha tudo, ela tinha o Menino Deus consigo!

Temos O tudo!

Ao compreender isso, eu contemplava a minha realidade de outra forma e percebia: eu tenho O Tudo! Quantas vezes Deus precisou me lembrar disso e o fez de muitas formas: por amigos, pela Palavra, nas minhas adorações ao Santíssimo e principalmente pela confiança que meu marido sempre teve nEle!

Além dessa confiança e abandono em Deus, Maria me ensinou a experimentar a graça da intimidade com Deus nos detalhes do dia a dia de uma casa. Em minha rotina, nos afazeres domésticos, eu sempre pedia a intercessão dEla. Era um pedido de socorro! Era a forma que eu encontrei para permanecer. Ela, com seu amor de mãe, sempre foi além. Jamais vou me esquecer das inúmeras vezes que, nesse primeiro ano de casada, enquanto eu lavava a louça, limpava a casa, passava roupa, eu ficava conversando com Ela, rezando, pedindo Seu auxílio materno.

Um SIM que dura a vida

Em um desses momentos, enquanto eu lavava um simples copo, eu me recordei fortemente do momento em que eu disse SIM no altar de Deus para o meu marido. Naquele dia memorável, inesquecível, eu disse SIM com todo amor e desejo de amar até que a morte nos separe. E, ao lavar aquele copo, diante de todas as dificuldades daquele momento, eu compreendi que eu precisava dar esse mesmo SIM, cheio de amor, cheio de decisão. Novamente me lembrei da vida de Maria!

Ela foi visitada pelo anjo Gabriel e prontamente disse o seu SIM cheio de amor, de decisão, de temor e continuou dizendo o seu SIM instante após instante! Ela sabia que, independente do que acontecesse, Deus estaria com Ela e cuidaria de tudo! Nessa reflexão, aprendi que eu era (e sou) chamada a viver da mesma forma. Aprendi que essa é a força de uma mulher: estar sempre entregue nas mãos dAquele que tudo pode! Essa certeza me ajudou a sair da prostração na qual eu estava me afundando.

Minha casa, uma Igreja

Aos poucos fui aprendendo a contemplar a beleza de cada afazer doméstico. Preparar uma comida não é apenas cozinhar, mas cuidar do meu marido, de sua saúde e ser sustento. Lavar uma roupa é demonstrar meu amor. Limpar a casa é deixá-la sempre acolhedora e como uma verdadeira Igreja Doméstica. Aprendi a viver a virtude da ordem e através dela ressaltar o belo. Aprendi que ser mulher é sempre se doar: na alegria ou na dor, sabendo que essa doação gera mais e mais amor!

Existem muitas coisas que ainda estou aprendendo e espero poder partilhar mais. Entretanto, para esse momento, minha Mãezinha me pedia de partilhar, nessa simplicidade, esses valores que têm se perdido muito e que fazem tanta falta em nossos lares e famílias. Espero que você convide Maria para participar de todos os momentos de sua vida, para que assim, você encontre o maior tesouro que Ela nos dá: Seu Filho Jesus!

Acolha Maria como mãe!

Hoje, depois de um pouco mais de 3 anos de casada, posso te afirmar o quanto sou feliz. Não tenho mais dificuldades? Claro que tenho e muitas. Mas, quando as dificuldades começam a me consumir, eu corro para o colo da minha Mãezinha e ela me ajuda!

Tenha Maria como Sua mãe, seu modelo de mulher, seu auxílio. Sei que você irá se surpreender em como Deus nos fala através da intercessão de Maria!

Rosana Menezes
Esposa, Missionária da Comunidade Aliança de Misericórdia e Psicóloga

4 comentários

  1. Minha esposa e filhos (2) um casal são consagrados a Jesus pelas mãos de Maria e eu estou me preparando este mês para me consagrar também.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: